Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

My Love Story

Mãe de primeira viagem, vivi deslumbrada com esta nova história de amor que se vai escrevendo desde a minha gravidez! Partilho agora os nossos momentos, os bons e também os menos bons...

My Love Story

Mãe de primeira viagem, vivi deslumbrada com esta nova história de amor que se vai escrevendo desde a minha gravidez! Partilho agora os nossos momentos, os bons e também os menos bons...

Manifesto: Porque os avós deviam ser um dado adquirido no dia a dia de cada neto (parte 2)

DSC01917.JPG

 

 

Os avós são uma espécie de pais melosos, uma espécie de pais que não castigam, uma espécie de pais que "estragam" com mimos, uma espécie de pais que fazem tudo para os netos , mesmo aquilo que nós, os pais "chatos", pedimos para não darem ou não fazerem. 

Mas não será esse o papel deles, o de darem aos netos tudo, sem conta nem medida?! 

O serem o mais permissivo possíveis, coisa que não foram assim tanto com os próprios filhos?! 

Não serão eles uma espécie de segundos pais que nunca ralham, nunca castigam, nunca ficam zangados?!

São isto e muito mais! São as pessoas a quem rapidamente recorremos se algo se passa, se o nosso filho adoece e precisamos de conselhos; que nos dizem, por vezes com demasiada sinceridade, que estamos a exagerar com alguma coisa, que devemos abrandar o ritmo e gozar os nossos filhos. 

Eles já passaram por isto, eles sabem o que são muitas das coisas que nós vamos passando com os nossos filhos. Mesmo que tenha sido numa outra altura, o amor que se sente por um filho não é diferente, o que se faz por amor a um filho não é diferente. 

São uma espécie de pais com açúcar! Tudo quanto para nós é de um peso astronómico é para eles "peanuts"! Nem que seja porque quando chega à altura chata, o momento em que a birra estala, os pais tratam disso.

Eu ainda me lembro de ter feito muita coisa com a minha avó, muita coisa que não teria feito com mais ninguém. 

Dormir com a minha avó em modo "cadeirinha" o vulgo modo "conchinha" de hoje em dia, ter apanhado amoras silvestres e ter comido tantas que a minha boca ficava roxa!, ter bebido água da ribeira porque era mais fresca que a da garrafa!

Quero que o Tiago aprenda a pescar, a apanhar pinhas, castanhas e míscaros com os avós!

Quero que tenha as próprias memórias dos avós!

 

Conviver com os avós faz-nos perceber porque se devem respeitar as pessoas mais velhas: elas têm sempre mais alguma coisa para nos ensinar. Nós ainda não vimos tudo o que eles já viram! Vimos talvez sim outras coisas. 

 

Conviver com os avós dá-lhes uma noção de família alargada, que não se cinge apenas a pai e mãe (por muito importante que sejamos para os nossos filhos).

 

E por isso mais uma vez decreto que os avós sejam transferidos para perto dos netos, já! (Continua a não poder ser?! Pronto... Ok...😒) 

 

Então...

 

Beijocas!!!

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D