Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

My Love Story

Mãe de primeira viagem, vivi deslumbrada com esta nova história de amor que se vai escrevendo desde a minha gravidez! Partilho agora os nossos momentos, os bons e também os menos bons...

My Love Story

Mãe de primeira viagem, vivi deslumbrada com esta nova história de amor que se vai escrevendo desde a minha gravidez! Partilho agora os nossos momentos, os bons e também os menos bons...

Vai Tiago!!!

DSC00782.jpg

 


É incrível como a mobilidade dos bebés cresce de semana para semana. Ultimamente dá para perceber que o Tiago já tem ganas de começar a gatinhar.

Ao fim do dia, quando chegamos a casa, o Tiago vai direitinho para a sua manta no tapete da sala. Espalho os brinquedos dele pela mesma e coloco-o no meio à espera que ele perceba com qual dos brinquedos quer brincar e vê-lo esticar-se, contorcer-se, rebolar e refilar, até que o alcança.

A minha avó sempre me disse que os bebés deviam ser deixados assim, livres em cima de uma superfície onde possam mexer-se e desenvolver-se. Começo a acreditar no que ela diz...
Com tanta mexeriquice, acho que me vou aperceber que o Tiago gatinha, no dia em que ele fôr, por ele próprio, ter comigo à cozinha😏 (Nesse dia acho que choro... Como aliás, a cada novidade😄)

Não me canso de olhar para ele e de o desafiar a chegar mais longe. Sou daquelas mães chatas que quase força o bebé a não desistir do que quer. Mas depois de algum tempo a tentar e se não alcança o que quer, o Tiago desiste, sobretudo se vê outra coisa à qual consegue chegar.

Neste campo admito que o infantário dá um enorme empurrão. O facto de na sala do Tiago já haver bebés mais crescidos que ele e que já gatinham ou se põem de pé e caminham agarrados a tudo, desafiam os outros a, por imitação, se iniciarem por "caminhos nunca antes palmilhados". Se, no caso de um irmão mais novo, se percebe que é muito estimulado pelo mais velho e alcança feitos bem mais rápido, no infantário há também essa facilidade de estímulos, quer pelos bebés, quer pela paciência gigante das educadoras e auxiliares.

Estes próximos meses são meses de grandes metas a atingir: sentar e segurar as costas direitas, gatinhar ou mesmo rastejar, andar, dizer as primeiras palavras. Que venha cada coisa a seu tempo e que eu possa ser a sortuda de assistir a cada uma destas coisas de camarote!

Beijocas!!!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D